fbpx
O escritor que “previu” o naufrágio do Titanic | Blog Unigran Net

Todos conhecem a história do Titanic. Uma tragédia real que virou filme e que se tornou mundialmente conhecida. Mas quem imaginaria que 14 anos antes um escritor contaria uma história muito parecida com essa?

O livro “Futilidade ou o Naufrágio do Titan” fez o escritor Morgan Robertson ficar conhecido como o homem que “previu” o naufrágio do Titanic.

Ficou curioso? Então acompanhe a leitura!

O FAMOSO TITANIC:

Em 15 de abril de 1912, o famoso naufrágio do navio RMS Titanic ceifou a vida de mais de 1,5 mil pessoas a bordo. Diferente do filme, a catástrofe não girou em torno do romance entre Rose e Jack, mas ainda assim, não deixou de ser surpreendente e de chamar atenção do mundo inteiro.

O destino do Titanic era a cidade de Nova York, saindo de de Southampton, na Inglaterra. Mas, quase ao fim da noite de 14 de abril, a lateral do navio colidiu com um iceberg no norte do Atlântico. 

Algo que parecia inofensivo em comparação à estrutura do Titanic, a colisão foi onde tudo começou. Com ela, partes do casco do estibordo de quase 100 metros afundaram e seis compartimentos dianteiros foram expostos à água do mar. A partir daquele instante, o naufrágio era inevitável. 

Os acontecimentos depois da colisão:

Por volta das 01h50 da manhã a proa já havia afundado muito, o que fez com que a água do mar entrasse. O desespero entre os tripulantes já era real, todos buscando por alternativas de se salvar daquela tragédia que viria a acontecer. Os botes eram a única esperança. Mesmo que não suportasse todos, era o que eles tinham e o usaram. 

Destroços do Titanic (Fonte da Imagem: DiariodaManha).

Às 02h18, passados 13 minutos desde a partida do último bote salva-vidas, a proa estava repleta de água e a popa tinha levantado alto o suficiente a ponto de expor as hélices e criar tensões catastróficas no meio do navio. Foi aí que o Titanic partiu ao meio, tal como a cena do filme. 

Os compartimentos explodiram. Os conveses foram esmagados. Peças afundaram. Muitos morreram.

Os destroços do navio só foram encontrados 73 anos depois, em 1985, a quase 4 km abaixo do nível do mar.

“FUTILIDADE OU O NAUFRÁGIO DE TITAN”:

Futilidade, ou O Naufrágio de Titan (Fonte da Imagem: 3bpBlogspot).

Mas poderia esse episódio trágico ter sido previsto? Muitos acreditam que o livro “Futilidade ou o naufrágio de Titan” não foi apenas uma coincidência e mostraremos o porquê.

14 anos antes, em 1898, o escritor Morgan Robertson lançou esse conto que relata a história do transatlântico Titan que afundou no Atlântico Norte depois de bater em um iceberg.

Claro que essa não era a única semelhança com o Titanic. No livro, Morgan descreve o Titan com as mesmas medidas e características do Titanic. Se você quiser mais uma coincidência curiosa, o nome do capitão do navio fictício era Smith, tal como do que viria a afundar 14 anos depois.

O naufrágio no livro aconteceu em uma noite de abril, no Atlântico Norte, a 400 milhas náuticas de Newfoundland. Exatamente como no Titanic que veio colidiu com iceberg na noite de 14 de abril.

Além desses detalhes iguais, também há coisas que, ainda que não sejam idênticas, não deixam de ser assustadoras por sua semelhança. A velocidade de navegação, o número de botes e os compartimentos à prova d’água. Tudo parecido e dando jus ao apelido dado ao escritor Morgan Robertson: o homem que previu o naufrágio.

A diferença entre o livro e a história real:

Pode-se dizer que a diferença entre os enredos vem apenas no pós-acidente. Isso porque no livro, o autor fez uma grande reviravolta com um dos sobreviventes da colisão. O ex-oficial da Marinha Inglesa passa por muitas aventuras, incluindo até o encontro e luta com um urso polar.

Na época do lançamento, o livro não teve tanta atenção assim. Mas claro que quando, em 1912, o Titanic naufragou, começaram as especulações sobre as premonições do livro. Então, a partir disso “Futilidade ou o naufrágio de Titan” ganhou notoriedade e ainda é pauta para muitas teorias dos fãs ou curiosos.

E NÃO É A ÚNICA HISTÓRIA:

Além disso, vale dizer de outra “previsão” feita pelo jornalista William Thomas Stead, em sua obra How the Mail Steamer Went Down in Mid Atlantic by a Survivor (Como o navio a vapor afundou no meio do Atlântico, por um sobrevivente).

Em 22 de março de 1886, mais de duas décadas antes do Titanic naufragar, ele publicou um artigo sobre um navio a vapor que colidiu com outro, resultando em uma grande perda de vidas devido ao insuficiente número de botes salva-vidas.

De maneira assombrosa, em seu livro, William Thomas Stead, até cita que um naufrágio poderia ocorrer no futuro. “Isso é exatamente o que pode ocorrer e o que irá acontecer se navios forem enviados para o mar com falta de barcos salva-vidas”, escreveu o autor. E foi de fato o que também agravou o desastre que ocorreu na vida real.

Thomas Stead faleceu no desastre do naufrágio do Titanic. Após o navio ter atingido o iceberg, ajudou diversas mulheres e crianças a entrar nos botes salva-vidas.

Essas são partes da história da humanidade que nunca foram – e dificilmente serão – explicadas.

Enfim, você gosta de curiosidades como essa? Leia também: O quadro que se autodestruiu.


Postagens Relacionadas