fbpx
Conheça as extraordinárias expressões da Arte brasileira | Blog Unigran Net

Quantas vezes você ouviu sobre a Arte Brasileira, seus estilos e sua história? É comum ter contato com alguns pintores durante a infância colorindo quadros famosos, mas você realmente entende a importância deles na atualidade?

Em um país diversificado, é importante se lembrar de onde surgiu e como foi o processo que tornou essa liberdade artística possível até os dias de hoje. 

Entenda um pouco da importância da arte brasileira agora neste artigo. Acompanhe!

HISTÓRIA DA ARTE BRASILEIRA

Quando os portugueses chegaram no Brasil, havia aproximadamente cinco milhões de indígenas vivendo no que futuramente viria a ser o território nacional. A arte nesse período encontrava-se na região da Amazônia onde os índios fabricavam objetos de cerâmica como enfeites, além de estatuetas de terracota. 

Além disso, a pintura corporal, máscaras, mantos e cocares também se faziam presentes como parte da cultura.

Pintura Corporal Indígena (Fonte Da Imagem: Pinterest)

Conforme a tradição, cada tribo indígena tinha o seu padrão de pintura podendo variar entre as mais simples e as mais elegantes para ocasiões especiais como batalhas ou festas. Mesmo com suas variações, as pinturas corporais eram feitas por mulheres que também aplicavam as cores em cestos, roupas, redes e instrumentos musicais. 

Após a colonização, as manifestações artísticas indígenas foram esquecidas e todo o continente europeu passou a ser influência para o Brasil. Os holandeses trouxeram para o Nordeste novos artistas, cultura e cientista. Os africanos trazidos como escravos, também influenciaram na cultura popular brasileira. 

Desde então a arte teve sua evolução com passar dos anos. Novos artistas surgiram e, por suas mãos, técnicas foram experimentadas e tornaram-se grandes marcos para a história da arte. 

A origem real da Arte Brasileira não foi esquecida para os verdadeiros apreciadores da história. Contudo os novos métodos de se fazer arte tornaram-se mais populares e abriram caminho para artistas independentes também atuarem nessa área.

PRINCIPAIS MOVIMENTOS DA ARTE BRASILEIRA

Barroco

Considerado como a primeira expressão da arte verdadeiramente brasileira, o Barroco surge no Brasil no século XVIII e perdurou até o século XIX. 

As obras de expressão barroca estavam relacionadas, em sua maioria, ao catolicismo, com exagero na ornamentação, cores e presença de traços retorcidos. 

Esse período valorizou a simetria e, por isso, Aleijadinho é lembrado até hoje como o mais famoso artista barroco. Suas obras mostravam o equilíbrio perfeito entre a razão e a religião.

Neoclassicismo 

Iniciando-se no século XIX, o Neoclassicismo teve sua influência nas artes plásticas e literatura, ainda que tenha tido pouca representatividade no país.

Esse período foi caracterizado por obras racionais e que valorizava a perspectiva. Os artistas usavam suas técnicas para representar heróis e deuses da mitologia.

Devido a grande organização do período do Neoclassicismo, as técnicas de pintura eram muito controladas e objetivas.

Cubismo

Por intermédio da Semana de Arte Moderna, o Cubismo chega no Brasil anos após a ascensão na Europa entre 1907 e 1914. O movimento tem como principais características a valorização da imagem por vários ângulos em um mesmo plano. 

Demonstrar o real de maneira fiel não era uma preocupação dos artistas nesse período. E, por meio de camadas complexas acerca de suas pinturas, Tarsila do Amaral é considerada a maior representante desse movimento em meio a Arte brasileira.

Abstracionismo

Sem seguir alguma lógica de formas e cores, as pinturas abstratas mostravam a visão do próprio artista. 

Dividindo-se em duas formas, o abstracionismo expressivo tinha como principais características o sentimentalismo, liberdade artística e a intuição do pintor era valorizada. Já o abstracionismo geométrico destacava-se pela racionalidade, organização no uso das diversas formas geométricas e a reflexão intelectual do artista. 

Ainda que esse movimento tenha surgido com esse nome no século XX, vale a pena ressaltar que pinturas abstratas já estavam presentes na pré-história. No Mato Grosso do Sul, a arte corporal do povo indígena já trazia padrões abstratos. 

Fauvismo 

Com foco em uma arte pura e simples em suas cores, o fauvismo surgiu em 1922, após a Semana da Arte Moderna. 

A imaginação era muito explorada nesse movimento, possibilitando que artistas usassem as cores de forma simples, mas sempre fugindo da realidade. 

A rigidez e agressividade nesse estilo trouxe a expressão “feras” para definir os pintores, incluindo Inamá José de Paula, o principal representante brasileiro do movimento. 

SEMANA DA ARTE MODERNA:

Este foi o evento que deu visibilidade para uma das escolas mais inovadoras e importantes na arte brasileira, o modernismo. A Semana da Arte Moderna foi realizada entre os dias 13 e 18 de fevereiro de 1922 no Teatro Municipal de São Paulo, mas todo território nacional teve conhecimento da manifestação e, inclusive, apoiou os artistas organizadores de todo o evento. 

Propondo uma nova visão de arte, o evento teve diversas apresentações de dança, música, exposição de obras, palestras e recitais de poesias baseando-se na estética inovadora inspirada nas vanguardas europeias. 

Aberta ao público, a Semana da Arte Moderna foi trouxe características marcantes como: ausência de formalismo, crítica ao modelo parnasiano, ruptura com tradicionalismo, valorização da real identidade brasileira, liberdade de expressão entre os artistas e aproximação da linguagem oral.

Semana da Arte Moderna (Fonte da Imagem: Grupo Abril).

Os reflexos do evento foram sentidos ao decorrer dos anos, tendo em vista que não houve grande repercussão em 1922 pois os jornais se limitaram a divulgar o movimento. Porém, por ter reunido tendências de renovação da arte, passaram a influenciar toda a literatura brasileira durante o século XX e alcançaram a literatura contemporânea. 

Pode-se dizer que, até os dias de hoje, a literatura, pintura ou escultura, estão relacionadas as técnicas e evoluções do modernismo.

HISTÓRIA DE PINTORES FAMOSOS NA ARTE BRASILEIRA: 

Tarsila do Amaral

Abaporu (Fonte da Imagem: Cultura Genial).

Conhecida como uma das mais importantes artistas da primeira fase do modernismo, Tarsila do Amaral nasceu em 1 de setembro de 1886 e desde cedo inseriu-se no meio artístico. Aos 18 anos pintou seu primeiro quadro e posteriormente aventurou-se em Paris para estudar pintura com grandes artistas. 

Em São Paulo, acompanhou toda Semana da Arte Moderna ao lado do conhecido “Grupo dos Cinco”, composto por Anita Malfatti, Menotti Del Picchia, Mário de Andrade e Oswald de Andrade. Essa união mudou o cenário cultural e artístico de todo país, influenciando a Arte brasileira. 

Sua carreira dividiu-se em três fases: Pau Brasil, Antropofágica e Pintura Social. Foram mais 270 obras marcadas por cores, nacionalidade, surrealismo, cubismo e, no caso da pintura social, manifestações artísticas focada nos temas cotidianos e sociais do país. 

Anita Malfatti

Anita Malfatti foi uma artista do modernismo brasileiro. Nascida em 2 de dezembro de 1889, aprendeu a pintar muito cedo por influência de sua mãe, Bety Malfatti. Por sua atrofia no braço e mão direita, a jovem pintora desenvolveu suas habilidades na mão esquerda. 

Os estudiosos consideram a exposição de Anita Malfatti, em 1917, um dos principais acontecimentos artísticos, porque eles deram início a organização da Semana da Arte Moderna.  

Considerada a precursora da pintura modernista, o movimento ganhou força em 1922. Houve uma quebra do que era tradicional e a Arte brasileira passou a ser vista como independente, nacional e livre, haja vista que o Modernismo tinha como uma de suas características o nacionalismo. 

Mais a frente, ao decorrer de sua carreira, Malfatti se afastou do modernismo, mas sem romper o movimento. Seu interesse pelo fauvismo fez com que ela passasse a caminhar por temáticas regionalistas com uso de cores intensas. 

Sua arte atingiu pleno amadurecimento com espontaneidade, independência dos movimentos da época e temas de cultura popular. 

Di Cavalcanti

Di Cavalcanti foi um dos maiores pintores brasileiros. Nascido no Rio de Janeiro em 6 de setembro de 1897, o pintor teve grande influência cubista e surrealista, mas ficou reconhecido pela representação dos temas culturais populares, como carnaval, samba, favelas e operários.

Di Cavalcanti era jovem, mas isso não o impediu de começar a sua carreira na arte. Ainda com pouca idade, trabalhou com arte fazendo ilustrações para revistas e capas para livros como “Losango Cáqui”, de Mário de Andrade. 

Com passar dos anos, as obras foram tomando forma e, a sua maioria, eram inspiradas em Picasso e moralistas mexicanos. Por isso, carregavam cores vibrantes, desenhos e firmando-se no expressionismo, o pintor relatava as características mais marcantes do país. 

Duas de suas obras mais conhecidas são: Mulheres com Frutas (1932) e Ciganos (1940). 

Vicente do Rego Monteiro

Com suas artes expostas em museus nacionais e internacionais, Vicente do Rego Monteiro, foi professor, escultor e grande poeta brasileiro. Nascido em 19 de dezembro de 1899, foi inspirado por sua irmã a se aventurar no mundo da arte. Logo em suas primeiras obras receberá grande elogios por sua vocação para a pintura, mas ficou conhecido apenas anos depois.

Suas telas tinham a temática religiosa e estava sempre se adaptando a linguagem moderna, sem perder a sua verdadeira essência. 

“Mulher com Galinha” (1925), uma de suas obras mais famosas, foi pintada durante sua viagem a Paris e apresenta as técnicas mais exploradas pelo pintor em toda a sua carreira.

Quando falamos sobre arte, alguns pensam que basta produzi-la, mas entender todo o processo que originou a liberdade artística que temos hoje é essencial para uma construção que causará um impacto aos que a apreciarão. 

Quer saber mais sobre a História da Arte brasileira e do mundo? A graduação de Segunda Licenciatura em Artes na Unigran EAD é a sua melhor opção! Clique aqui para saber mais. 

Leia também o nosso artigo sobre a Arte Renascentista clicando aqui.


Postagens Relacionadas