fbpx
A ginasta que fez história nas Olimpíadas de Tóquio! | Blog Unigran Net

As Olimpíadas de Tóquio trouxe para o Brasil a primeira medalha na modalidade individual geral da ginástica feminina. Rebeca Andrade, a ginasta que em sua primeira final em uma competição olímpica fez história levando a medalha de prata!

Mas por trás de toda celebração e conquista, há uma história de luta e muita dedicação. Acompanhe o artigo e conheça a mulher forte por trás do esporte!

A história de Rebeca Andrade com esporte:

Assim como muitos atletas, a sua história com o esporte começou cedo. De família humilde da periferia de Guarulhos, Rebeca entrou na ginástica aos quatro anos, em um projeto da Secretaria de Esportes de Guarulhos, no ginásio Bonifácio Cardoso. Em pouco tempo, ela já estava no grupo de alto rendimento e participava de competições e torneios.

O irmão era responsável em levá-la aos treinos, mas como a situação financeira não era tão favorável, muitas vezes era difícil estar presente. Mas, ainda assim, isso não fez com que a paixão pelo esporte se esfriasse. 

Rebeca Andrade e sua treinadora, Keli Kitaura. (Fonte da Imagem: Google User Content).

A fim de vencer essa dificuldade da falta nos treinos, a técnica Keli Kitaura, fez a proposta de que a pequena ginasta ficasse em sua casa nos finais de semana. Ela aceitou e colhendo os bons frutos de seu empenho, aos 9 anos a treinadora a convidou para acompanhá-la em Curitiba, um importante centro da ginástica artística brasileira.

Com alegria, a mãe permitiu que Rebeca seguisse seu sonho e abraçasse essa oportunidade! Não foi fácil, cada dia um novo desafio e a cada treino uma nova fase a ser vencida. Mas, mais uma vez, os frutos de sua persistência vieram e ela foi contratada pelo Flamengo e, junto com Keli, se mudou para o Rio de Janeiro.

E foi ali que, aos 13 anos, Rebeca foi campeã brasileira. Aos 16, ganhou a primeira medalha em uma Copa do Mundo de Ginástica, nas barras assimétricas. E três ouros no salto na Copa do Mundo. 

Infelizmente, as lesões vieram e Rebeca precisou passar por cirurgias que quase a fizeram desistir do seu sonho. 

Mas, dando a volta por cima, em 2017 a brasileira chegou como favorita ao ouro do individual geral. Conquistou ouro no Campeonato Pan-Americano em 2020 e garantiu sua vaga nas Olimpíadas de Tóquio!

Olimpíadas de Tóquio 2020:

Como uma das favoritas na ginástica, Rebeca Andrade fez história garantindo a medalha de prata na final individual geral da ginástica feminina. Essa foi a primeira vez que o Brasil subiu ao pódio nessa modalidade! 

A melhor prova da brasileira, Rebeca, foi sua atuação no solo ao som de “Baile de Favela”. Cravou a maioria dos movimentos e atingiu a nota: 13.666, ficando atrás apenas da norte-americana Sunisa Lee que obteve a nota 13.700 garantindo a medalha de ouro. 

O pódio ficou então:

1ª Sunisa Lee (EUA) | 57.433: 14.600 (salto), 15.300 (assimétricas), 13.833 (trave) e 13.700 (solo)

2ª Rebeca Andrade (BRA) | 57.198 | 15.300 (salto), 14.666 (assimétricas), 13.666 (trave) e 13.666 (solo)

3ª Angelina Melnikova (RUS) | 57.166 | 14.500 (salto), 14.866 (assimétricas), 14.200 (trave) e 13.966 (solo)

(Fonte da Imagem: Glbimg).

Após a prata no individual geral, Rebeca ainda poderá levar para casa outras duas medalhas nas finais do solo e do salto. E pode igualar o feito de Isaquias Queiroz, da canoagem: três medalhas na mesma edição das Olimpíadas. 

O fato é que o Brasil está fazendo história nas Olimpíadas! Tivemos a estreia do skate nas Olimpíadas de Tóquio que também garantiu duas medalhas para o país. 


Além de torcer, você também ama ler sobre as histórias por trás dos esportes e eventos mundialmente importantes como esse, então venha descobrir: De onde surgiram os Jogos Olímpicos?


Postagens Relacionadas