fbpx
Poluição Sonora: Principais causas e como evitar | Blog Unigran Net

É comum que alguns sons incomodem, tanto pelo barulho alto e/ou estridente como pela situação em que ocorrem. Mas, você sabia que existem sons do seu dia a dia que são caracterizados como poluição sonora? 

A audição pode ser prejudicada por alguns fatores que, pela rotina, passam despercebidos. Aliás, não somente a audição, como o meio ambiente.

Quer saber mais? Confira todas as informações abaixo.

O QUE É POLUIÇÃO?

A poluição defini-se como a introdução de substâncias ou energia de forma intencional ou acidental no meio ambiente. Sua prática traz graves consequências a atmosfera e também aos seres humanos. 

Foi a partir da Revolução Industrial que a poluição passou a ser mais intensa, isso porque houve aumento da industrialização e urbanização. 

Até os dias de hoje, essa prática é considerada um grande problema ambiental que pode ser dividido em diferentes categorias: 

Poluição da água

Contaminação por elementos físicos, químicos e biológicos que podem ser nocivos ou prejudiciais aos seres vivos. 

Atmosférica

Liberação de gases, líquidos e partículas sólidas em suspensão, material biológico e, em casos isolados, a energia pelo ar. 

Térmica

Define-se pelo aquecimento das águas naturais pela introdução de água quente utilizada na refrigeração de centrais elétricas, usinas, siderúrgicas indústrias diversas. 

Poluição do solo

Descarte de lixo sólido e de produtos químicos como fertilizantes, pesticidas e herbicidas sob o solo. 

Visual

Causada por anúncios, propagandas, placas, fios elétricos, lixo, torre de telefone ou outros elementos dessa mesma natureza. É o excesso de informação ligado a comunicação visual.

Radioativa

Liberação de resíduos da energia nuclear ou atômica produzida por elementos químicos capazes de gerar a radiação.

E a poluição sonora? Onde entra? Vamos entender agora! 

POLUIÇÃO SONORA

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a poluição sonora ocupa o segundo lugar no ranking das maiores causadores de doenças, ultrapassando a poluição da água e perdendo apenas para a poluição do ar. 

Pode-se definir a poluição sonora como o excesso de ruídos que afeta na saúde física ou mental de uma determinada população.

Ainda que seja passada despercebida no dia dia, a poluição sonora está constantemente presente e pode ferir a saúde humana, além de ser prejudicial ao meio ambiente. 

O nível de barulho permitido pode atingir até 50 decibéis (dB), portanto qualquer som que ultrapasse esse nível já pode ser considerado como poluição sonora.

QUAIS AS CAUSAS DA POLUIÇÃO SONORA?

Como já mencionado no tópico anterior, muitas vezes a poluição sonora passa despercebida no dia dia, isso porque aparece em hábitos que são comuns. 

Trânsito (Fonte da Imagem: Executivo Flexível).

O próprio trânsito é um grande causador dos ruídos para cidades, as principais características dos veículos barulhentos são escapamento, as alterações no cano de descarga e até problemas no motor.  

Porém, as freadas bruscas e uso excessivo de buzinas também pode ser considerado como poluição sonora principalmente nos grandes centros em que o engarrafamento é expressivo.

Além disso, dentro das próprias casas também há poluição sonora com o uso dos aparelhos domésticos como ar-condicionado, batedeiras, secadores de cabelo, máquina de lavar e demais eletrodomésticos. 

O funcionamento isolado já causar um grande ruído, mas quando eles estão em funcionamento conjunto, a soma dos ruídos causa os indesejáveis decibéis gerando então a poluição sonora. 

Vale ressaltar que as indústrias também são grandes causadores da poluição sonora. Os próprios funcionários precisam gastar uma energia extra para conseguir realizar algumas atividades que requerem uma alta e contínua atenção a nível sonoro. 

Medidos de decibéis (Fonte da Imagem: Conrad).

Os ruídos intensos são perturbadores e podem acabar afetando a produtividade, o que consequentemente fará com que o serviço seja realizado num ritmo mais lento causando então mais danos à saúde daquele funcionário.

OS PRINCIPAIS DANOS DA POLUIÇÃO SONORA

Dentre os principais danos causados pela poluição sonora, os seres humanos podem vir a enfrentar problemas como estresse, depressão, insônia, perda de atenção ou da memória, dores de cabeça, cansaço, gastrite, perda de audição temporária e nos casos mais graves, pode chegar a surdez. 

Entretanto, não são apenas os seres humanos que sentem os efeitos negativos do excesso de poluição sonora. Há também impacto sobre os animais e sobre as plantas de modo geral.

O excesso de ruídos pode deixar os animais extremamente estressados. O que atrapalha os instintos naturais da caça, a reprodução e interfere na comunicação entre as espécies. 

Porém, os animais mais prejudicados são os marinhos, já que nos ambientes aquáticos o som se propaga com mais intensidade e rapidez. 

Dessa forma o nível de ruído é muito mais alto em ambientes aquáticos, devido a motores de barco e navios, plataformas de carga e descarga e outros fatores dessa natureza.

No caso das plantas, os ruídos excessivos atrapalham no seu crescimento, isso porque os tremores que são causados pelas ondas sonoras fazem com que a água não chegue até as raízes. 

O QUE DIZ A LEI SOBRE POLUIÇÃO SONORA 

Por ser algo que causa grandes danos ao ser humano e ao meio ambiente de modo geral, existe a legislação sobre a poluição sonora. A função dos municípios é fiscalizar para que estas leis de silêncio sejam cumpridas.

Dentro delas há a Lei dos Crimes Ambientais, n9º 9.605. Esta diz que causar a poluição de qualquer natureza em níveis que gerem consequências em danos à saúde humana pode resultar em pena de reclusão de um a quatro anos, além de uma multa que deverá ser paga. 

Há também outras leis importantes que define em critérios e padrões, segundo as normas técnicas da ABNT, para um nível aceitável de emissão de ruídos em qualquer atividade industrial ou comercial. 

Além disso, há também uma análise os ruídos emitidos por ações sociais ou recreativas, mas com informações específicas instituídas pelo “Programa Silêncio – Programa Nacional de Educação e Controle da Poluição Sonora”.

MAS COMO EVITAR A POLUIÇÃO SONORA?

Os barulhos do dia dia são dos principais fatores que colaboram para existência da poluição sonora, mas a luta contra isso e de todos. Existem alguns cuidados que devem ser tomados para prevenir a alta exposição a poluição sonora ou até mesmo, diminuir sua prática, já que não há uma maneira de se livrar de todos os ruídos emitidos por indústrias, comércio e ambientes sociais.

Proteção auricular (Fonte da Imagem: Scoop).

Visando diminuir os impactos a saúde dicas simples podem fazer toda diferença! Evite lugares com muito barulho, use protetor auricular em locais de trabalho com ruídos em excesso e se esforce para não escutar músicas com volume alto demais, pois as consequências podem ser severas. 

Dentro de uma empresa, é possível controlar essa poluição sonora através de revisões e manutenções em motores, máquinas e veículos. Dessa forma, além de minimizar o barulho excessivo, também é uma melhor produtividade levando em consideração que os equipamentos estarão em perfeito estado.

Se interessou pelo assunto e quer saber mais sobre como minimizar os impactos negativos no meio ambiente? Você pode ver isso e muito mais na graduação a distância de Gestão Ambiental na Unigran EAD. Clique aqui para obter mais informações!


Postagens Relacionadas