fbpx
O que é e quem escreveu o Pentateuco? | Blog Unigran Net

Aos que estudam teologia, o pentateuco é um termo muito presente e que é essencial para o entendimento pleno dos escritos de Moisés nos primeiros livros da Bíblia.

Acompanhe o artigo para entender melhor!

ORIGEM DO TERMO E SEU SIGNIFICADO:

Originado da combinação da palavra grega penta, que significa “cinco” e teuchos, que pode ser traduzido como “pergaminho”. O Pentateuco é o nome dado aos cinco primeiros livros da Bíblia, nos quais a maioria dos estudiosos acredita terem sido escritos por Moisés.

Contudo, há alguns versículos de autores desconhecidos, tais como o texto de Deuteronômio 34:5-8, que conta a morte e sepultamento de Moisés.

OS LIVROS QUE COMPÕEM O PENTATEUCO:

Os cinco livros da Bíblia que compõem o Pentateuco são o princípio da revelação de Deus ao homem. Conheça um pouco mais sobre cada um deles:

Gênesis:

Este é o primeiro livro da Bíblia. A palavra “Gênesis” significa começo, nascimento ou origem. Portanto, nesse primeiro momento o leitor é apresentado à criação do mundo, do homem e dos primeiros acontecimentos da Bíblia.

Além disso, encontra-se em Gênesis a queda do homem com a história de Adão e Eva, a promessa de redenção e a aliança de Deus com o povo de Israel.

Êxodo:

O segundo livro da Bíblia é Êxodo. Nele é apresentado a libertação do povo da escravidão após 400 anos e a entrega da Terra Prometida por Deus a Abraão.

Durante os capítulos, o livro de Êxodo registra a aliança de Deus com Israel no Monte Sinai, a liderança de Moisés, a construção do tabernáculo, os Dez Mandamentos e outras instruções de Deus com o povo de Israel em relação à sua adoração.

Levítico:

O livro seguinte é Levítico, que expande as instruções de como Israel devia adorar a Deus e como deveriam se comportar.

Levítico registra os requisitos do sistema sacrificial que permitia que Deus perdoasse e esquecesse os pecados do povo. Além disso, apresenta também a regulamentação acerca da adoração e os cuidados com os elementos de culto.

Números:

Depois de Levítico temos Números. Seus registros mostram os quarenta anos que Israel passou no deserto e dá instruções a respeito da aliança de Deus com o povo.

Mostra também como os israelitas tinham um grande exército liderado pelo Senhor através de Moisés, ressaltando então a conquista de Canaã.

Deuteronômio:

O último dos cinco livros que compõem o Pentateuco é Deuteronômio. Os capítulos apresentam então as palavras finais de Moisés antes da entrada do povo de Israel na Terra Prometida.

Em Deuteronômio, a Lei de Deus dada no Monte Sinai, no livro de Êxodo, é explicada ao povo. Moisés então relembra ao povo os mandamentos de Deus e as maldições em decorrência da desobediência.

O grande tema do Pentateuco é a história das alianças de Deus com Israel. Desde a promessa, os cinco livros mostram Deus se manifestando a fim de instruir o povo a alcançar a Terra que ele havia planejado a eles. Desse modo, o Pentateuco trouxe a Nova Aliança de Deus com seu povo.

PENTATEUCO E TORÁ

O Pentateuco tem ainda duas vertentes históricas: a cristã e a do judaísmo.

Entre os judeus estes livros compõem a chamada Torá. Esta é uma palavra da língua hebraica com significado associado ao ensinamento, instrução, ou literalmente Lei, uma referência à primeira secção do Tanakh.

Para o judaísmo, sobressai acima de tudo a manifestação do domínio absoluto de Deus sobre todas as coisas e instituições de Israel, dos reis ao povo. Há pois uma concessão divina de poder.

O Pentateuco é, para além de “lei”, o grande texto da história hebraica pós-exílio (no Egito). Israel é uma comunidade em honra de Deus e da Aliança, sendo os sacerdotes, mais do que os reis, os guardiães da “lei”.

Os três vetores histórico-religiosos em que se desenvolve o Pentateuco são, assim, o Êxodo, a “lei” de Moisés (do Sinai) e o monoteísmo.

Para os cristãos, o Pentateuco, como “história inacabada”, aponta para um novo êxodo e uma nova manifestação de Deus: Jesus Cristo. A relação do Homem com Deus passa agora para o seguimento de Cristo, e não da “lei”.

A interpretação judaica e rabínica do Pentateuco é então posta de lado. Cristo é assim a “nova lei”, a nova Páscoa, a nova Aliança.

10 MANDAMENTOS

Um dos textos mais amplamente conhecidos presente no Pentateuco, apresentado primeiramente em Êxodo (20:1-17) e depois em Deuteronômio (5:5-21), são os 10 mandamentos – ou Decálogo.

Os 10 mandamentos. (Fonte da Imagem: Resumo da Net).

Os mandamentos incluem instruções como a de não adorar outros deuses, honrar os pais e guardar o Sabá, bem como proíbe idolatria, blasfêmia, assassinato, adultério, roubo, desonestidade e cobiça. Dependendo de cada tradição religiosa, os mandamentos podem ser numerados e interpretados de forma diferente.

Os mandamentos em Êxodo 20:3-17 contêm, na verdade, dezenove declarações no total. Flávio Josefo, historiador e apologista judaico-romano, agrupa-os assim:

  • Primeiro Mandamento (versículo 3);
  • Segundo Mandamento (versículos 4 a 6);
  • Terceiro Mandamento (versículo 7);
  • Quarto Mandamento (versículos 8 a 11);
  • Quinto Mandamento ao Décimo Mandamento (versículos 12 a 17, um versículo por Mandamento).

Alguns sugerem que o número dez é apenas uma opção para auxiliar a memorização, em vez de uma questão de teologia.

É um assunto extremamente interessante, não é? Quer saber mais? Conheça a graduação em Teologia da Unigran EAD clicando aqui.

São seis semestres dedicados aos estudos que o tornarão capaz de refletir, ensinar e dialogar de forma lógica, criativa, crítica e analítica os conhecimentos, aplicando-os à realidade social, cultural, econômica e política no qual está inserido.

Leia também: A religiosidade como estratégia de mudança social.


Postagens Relacionadas