fbpx
Quanto a psicopedagogia contribui para a educação? | Blog Unigran Net

A escola é um dos primeiros lugares onde temos contato com pessoas que não fazem parte de nossa família. É lá que aprendemos a lidar com as diferenças e a viver em sociedade. Por isso, o ambiente escolar cumpre um importante papel na formação do indivíduo. E a psicologia tem a função de acompanhar esse desenvolvimento.

O período escolar influencia de maneira significativa a forma como o cidadão contribuirá para a sociedade. Sendo assim, é fundamental que o ambiente educacional ofereça o suporte necessário para o progresso do aluno.

Cabe, portanto, aos agentes envolvidos no processo de ensino e aprendizagem identificar dificuldades e deficiências que possam atrapalhar esse desenvolvimento. É neste sentido que a psicologia – por meio da psicopedagogia – contribui para melhorar a educação, auxiliando professores, coordenadores e diretores a compreender os alunos e o próprio processo educacional.

Como a psicologia se associa à educação?

A psicologia é a ciência que estuda o comportamento humano e seus processos mentais. A psicologia da educação, portanto, é o ramo voltado a analisar e compreender os processos que envolvem a realidade educacional. Por isso, o foco é o indivíduo inserido nos processos de ensino e aprendizagem.

Paralelamente a isso, temos também a psicopedagogia, que é a ciência responsável por unir conceitos da psicologia e da pedagogia. Com isso, seu objetivo é compreender como o indivíduo assimila e processa informações para adquirir conhecimentos.

Essas ciências são importantes para promover melhorias no contexto educacional. Veja como elas contribuem para aprimorar o trabalho do professor e o desenvolvimento dos alunos:

1. Compreender o estudante

Cada estudante é um ser único que carrega consigo suas particularidades, aspectos culturais e experiências de vida. E tudo isso tem influência sobre o processo de aprendizagem. Por isso, na educação, a psicologia se preocupa em ajudar o professor a compreender os estudantes enquanto indivíduos.

Isso ajuda a perceber o comportamento consciente e inconsciente do aluno, levando em consideração seu desenvolvimento intelectual, social e emocional. Tais aspectos, muitas vezes ignorados no ambiente escolar, podem ser determinantes para o desempenho do estudante.

2. Entender as diferenças

As salas de aula são heterogêneas, ou seja, compostas por alunos com diferentes níveis de inteligência e aptidão. O professor tem de lidar com estudantes com graus de aprendizagem distintos. Ao mesmo tempo, encontrará alunos superdotados e autodidatas, mas também poderá trabalhar com crianças com déficit de atenção ou deficiências.

Portanto, o professor deve estar preparado para encarar essas diferenças e saber lidar com elas. E a psicologia cumpre um papel fundamental ao apresentar ao docente caminhos para ensinar a todos, respeitando as diferenças.

psicopedagogia diferenças

3. Desenvolver métodos de ensino

Entre os objetivos da psicologia está a compreensão das capacidades cognitivas do indivíduo. Isto significa que esta ciência procura entender como se dá a aquisição do conhecimento. Aplicando esses estudos ao ambiente escolar, são desenvolvidas técnicas mais eficazes para o processo de ensino e aprendizagem.

Dessa maneira, os psicólogos ou psicopedagogos contribuem para a inserção de métodos de ensino inovadores. Entre eles, estão os jogos e as dinâmicas de grupo, que estimulam nas crianças a vontade de participar e aprender.

4. Avaliar o desempenho dos alunos

Como avaliar se os alunos realmente estão aprendendo? As tradicionais provas nem sempre dão conta de verificar todas as potencialidades do estudante. Nesse ponto, estudos psicológicos contribuem para o desenvolvimento de técnicas de avaliação mais assertivas.

psicopedagogia aprendizado

5. Mediar problemas e conflitos

São vários os problemas e conflitos que podem surgir no ambiente escolar. O bullying é um deles e pode prejudicar seriamente o desempenho da criança ou do adolescente. Sendo assim, o psicólogo ou psicopedagogo se esforçará para compreender o que ocasiona esses conflitos e buscará maneiras de solucioná-los.

Para isso, é preciso trabalhar aspectos comportamentais tanto do aluno que sofre bullying quanto daquele que o pratica. Além disso, o profissional buscará respostas para resolver outros problemas como notas baixas, evasão escolar e até as “colas” nas provas.

O papel da psicologia e da psicopedagogia

O psicólogo educacional trabalha junto ao professor, visando aprimorar as técnicas de ensino, bem como o desempenho dos alunos. E isso se dá por meio do estudo dos mecanismos de aprendizagem. Além disso, sua função é entender como a própria escola pode contribuir para o desenvolvimento dos estudantes.

Já a função central do psicopedagogo é identificar problemas no processo de ensino e aprendizagem. Ou seja, as dificuldades, deficiências e transtornos que atrapalham o rendimento do estudante. A partir daí, o profissional busca soluções e métodos para superar esses obstáculos, visando melhorar o desempenho do aluno.

Embora as funções sejam similares, a atuação na área de psicologia da educação é reservada aos psicólogos. Já a psicopedagogia pode ser exercida também por pedagogos, assistentes sociais e até por professores. Para isso, basta que o profissional graduado em nível superior na Educação ou Saúde faça uma especialização.

A Unigran EAD oferece o curso de pós-graduação em Psicopedagogia na modalidade a distância. Desta forma, é possível obter o título adaptando seus horários de estudo de acordo com sua rotina. Se você se interessa pelo assunto, clique aqui e saiba mais sobre o curso.


Postagens Relacionadas